terça-feira, 3 de abril de 2012

UnB proibe trote sujo

Tempos atrás escrevemos o texto Unb e Universidade Feminista: doping moral.

Depois disso, o Ministério Público Federal abriu processo para apurar as humilhações a que as jovens calouras foram submetidas (Aqui). Outros colunistas fizeram matérias a respeito da humilhação e degradação moral a que eram submetidas as calouras.

Na sexta-feira passada, a administração da UnB resolveu proibir esses trotes. A notícia é excelente para as jovens universitárias. Mas não basta. É preciso fiscalizar os trotes e as festas, para impedir nestas últimas o consumo de bebidas alcoólicas e drogas.

ADMINISTRAÇÃO - 30/03/2012
Consuni proíbe trote sujo e regulamenta festas
Maiana CostaUnB Agência
Relatório do professor David Renault foi aprovado por 42 votos a zero. Destaques ao texto ainda serão discutidos

Leonardo Echeverria - Da Secretaria de Comunicação da UnB

O Conselho Universitário da UnB aprovou a proibição do trote que submeta alunos a "ações de tortura, a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante, constrangimento e a situações de discriminação de qualquer natureza". Também fica proibida a realização de festas e happy hours com consumo de bebidas alcoólicas dentro dos CAs e das unidades acadêmicas.
"Somos educadores. Não somos apenas professores que repassam conhecimentos. Essas medidas tem que ajudar a educar nossa comunidade", explica Carmenísia Aires, diretora da Faculdade de Educação da UnB.
As novas regras estão no relatório do professor David Renault sobre Normas de Convivência Universitária, aprovado no Consuni, por 42 votos a zero, com seis abstenções. A discussão, porém, ainda não terminou. Na próxima reunião do Consuni, no dia 13 de abril, haverá a votação de destaques ao texto.
"Acredito que já atravessamos o rio, mas a jornada não acabou", disse o reitor José Geraldo de Sousa Júnior. "A grande discussão aqui é sobre dignidade, respeito às diferenças e solidariedade". Na reunião do Consuni, houve uma variedade de opiniões sobre os diversos assuntos do documento, mas o relator manteve as seguintes diretrizes:
01. Os trotes sujos estão proibidos e serão combatidos com medidas pedagógicas e com as punições previstas no Estatuto da UnB, que vão da advertência à expulsão, após devido processo administrativo.
02. Fica proibida a venda e o consumo de bebidas alcóolicas na UnB, salvo com expressa autorização da unidade acadêmica responsável pelo espaço onde se realizará o evento. Nos espaços destinados às aulas e às pesquisas, podem ocorrer apenas confraternizações entre membros da comunidade, até o horário-limite de 22h30, podendo ser estendido até meia-noite. Eventos de médio porte podem ser realizados e outros espaços como no Teatro de Arena. Já os grandes, com venda de ingressos e publicidade, só podem acontecer no Centro Comunitário Athos Bulcão.
03. A segurança da UnB fica autorizada a pedir identificação dos membros da comunidade acadêmica. A identificação também poderá ser feita por câmeras de vigilância.
04. As unidades acadêmica podem criar novas regras para realização de festas, baseados nas diretrizes aprovadas pelo Consuni.
A discussão sobre os destaques deve definir se os CAs podem ser responsabilizados por trotes sujos. "Não podemos achar que os trotes fazem parte da cultura de qualquer curso, eles são plurais e reúnem diversas opiniões", disse o aluno Fábio Lima, do DCE. "Os CAs não podem ser responsabilizados por erros individuais", afirmou a estudante Deise Rocha, da Pedagogia.
Outro ponto que poderá ser revisto é o que diz respeito às condições para consumo e venda de bebidas. Estudantes defendem mais alternativas para a realização de happy hours, já que essas atividades ajudam a financiar o movimento estudantil. O professor Alessandro Borges, diretor da UnB Gama, lembrou que há leis no Distrito Federal que proíbe a venda de bebidas em quaisquer instituições de ensino. "A lei foi inclusive promulgada pelo professor Cristóvam Buarque, quando ele era governador", disse.
A decana de Assuntos Comunitários, Carolina Cássia, destacou que a aprovação dessas regras vai dar mais recursos para a orientação e controle das atividades extraclasse nos campi. "Já estamos trabalhando com vários órgãos para discutir a recuperação de espaços nos CAs", disse. "É necessário que a UnB continue a pensar nesse tipo de normatização".     

Nenhum comentário: