domingo, 29 de abril de 2012

A família é insubstituível recurso da sociedade

Cardeal Antonelli: a família é insubstituível recurso da sociedade


Cidade do Vaticano (RV) - O Presidente do Pontifício Conselho para a Família, Cardeal Ennio Antonelli, recordou nesta terça-feira em Lisboa – num simpósio sobre a família – a grande atualidade da "Familiaris Consortio", Exortação Apostólica de 1981 de João Paulo II: "a carta magna do múltiplo engajamento eclesial e civil dos católicos a serviço da família", assim a definiu.

O purpurado evidenciou também "a deriva individualista" de nossos tempos em que se tende a reinterpretar os direitos do homem não respeitando o seu sentido originário", tanto que hoje prevalece um clima em que "o matrimônio se reduz a uma relação afetiva de caráter privado entre indivíduos", reiterou.

A família – acrescentou o Cardeal Antonelli – nasce de uma dúplice doação pessoal: "a doação recíproca do homem e da mulher, e a doação dos pais aos filhos, e se constrói segundo a lógica da gratuidade".

Nesse sentido, é "o primeiro e insubstituível recurso da sociedade" porque "gera os novos cidadãos" e "produz os bens relacionais primários que plasmam a identidade pessoal".

Ademais, a família alimenta as virtudes civis como "o respeito, a confiança, a solidariedade, a cooperação, a responsabilidade, a sobriedade e a propensão à parcimônia", e "transmite não somente o patrimônio genético, mas também o patrimônio cultural, ético e religioso; tutela os mais frágeis, como as crianças, os anciãos, os portadores de deficiência, os doentes; realiza o trabalho doméstico, que é de enorme valor, embora não seja incluído no Produto Interno Bruto".

Além disso, serve como "amortizador social", com "a integração das rendas individuais" e o empreendimento de "empresas familiares, que em muitos países constituem a estrutura de base da economia".

Portanto, é necessário – como ressaltava o beato João Paulo II – que as famílias se mobilizem "cultural e politicamente" para "construir uma sociedade mais atenta a seus direitos". (RL)
Rádio Vaticana

Nenhum comentário: