sábado, 31 de março de 2012

"Flanelinhas" da saúde em Porto Alegre: é o fundo do poço

O Ministério Público do Estado, que apura denúncia de uma suposta falta de médicos na UBS da Vila Farrapos, na Capital, também investigará a venda de lugar na fila para marcação de consultas na mesma unidade.

A promotora Marinês Assmann, da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos, decidiu ampliar a investigação após denúncia publicada na edição de sexta-feira do Diário Gaúcho.

Não foi mudado o turno. 

A reportagem mostrou que os "flanelinhas" da saúde cobram entre R$ 15 e R$ 25 de usuários para garantir uma senha de agendamento para clínico geral, ginecologista e pediatra no posto.


Marinês quer saber se foram tomadas as medidas anunciadas pelo secretário da Saúde, Carlos Casartelli. Ele havia dito que o turno de marcação das consultas passaria da manhã para a tarde. Porém, até sexta isso não havia ocorrido, conforme apurou o jornal.
Marinês Assmann também solicitará informações sobre a ampliação no número de atendimentos e o reforço dos recursos humanos.

O MP investiga a ação ilegal de flanelinhas da saúde desde 1998. O Diário Gaúcho entrou em contato com a prefeitura, mas até o fechamento desta edição não obteve resposta.

Fonte: Diário Gaúcho

Nenhum comentário: