domingo, 25 de março de 2012

DO DESRESPEITO À BLASFÊMIA - Dom Miguel Angelo Freitas Ribeiro


Dom Miguel 
Nota do Bispo diocesano sobre acontecimentos no último carnaval de Oliveira, lida nas missas dominicais de 25 e 26 de fevereiro de 2012.

O carnaval de Oliveira, mais uma vez, foi palco de provocações e ofensas aos católicos e, acreditamos, às pessoas que têm ainda um mínimo de bom senso e respeito.

Referimo-nos ao bloco intitulado “Loucos Varridos” que, mais uma vez, colocou na avenida, na segunda-feira do último carnaval, a caricatura blasfema das imagens sagradas do Senhor Jesus,  de Maria Santíssima e dos santos e de símbolos religiosos católicos. Desfilaram atores vestidos como o Senhor dos Passos, a Senhora das Dores, a Senhora Aparecida e outros santos, enquanto alguns portavam alfaias litúrgicas.

Em outros blocos, muitos caricatos saíram portando hábitos religiosos e paramentos sacerdotais que nunca deveriam ser usados senão para o culto divino.

 Lamentamos profundamente os fatos, que não deveriam acontecer em relação  a nenhuma confissão de fé ou livro sagrado, de qualquer religião.

Diante disso, “não podemos deixar de manifestar nossa indignação em defesa das pessoas que tiveram seus sentimentos e convicções religiosas, seus símbolos e convicções de fé ultrajados”.

Respeitamos a posição dos ateus, agnósticos e daqueles que não têm a mesma fé que os católicos, mas, todos temos o direito de exigir o respeito e a observância às leis.

Para um temente a Deus, o conhecimento do mandamento divino bastaria para temer a blasfêmia: “Não tomar o santo nome de Deus em vão”. Para um bom cidadão, basta a consciência das leis para respeitá-las.

Apenas desejamos a observância das leis civis, já que não mais prevalece o bom senso e o respeito à Lei de Deus. Com efeito, reza a Constituição Federal no seu Artigo 5º., inciso VI: “É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias.”

O artigo constitucional foi ainda esclarecido pelo Decreto 7.107, de 11 de fevereiro de 2010, que promulgou o acordo Brasil-Santa Sé. No seu  Artigo 7º diz: A República Federativa do Brasil assegura, nos termos do seu ordenamento jurídico, as medidas necessárias para garantir a proteção dos lugares de culto da Igreja Católica e de suas liturgias, símbolos, imagens e objetos cultuais, contra toda forma de violação, desrespeito e uso ilegítimo.”

Assim, esperamos das autoridades, a quem cabe a salvaguarda das leis, as medidas necessárias ao seu cumprimento; dos cristãos, não compactuar com o mal patrocinando ou participando de tais atos blasfemos e,  de todos, o bom senso e o respeito. E invocamos a misericórdia de Deus, antes que sua justiça! Que o Senhor tenha piedade de nós!
Dom Miguel Angelo Freitas Ribeiro,
Bispo diocesano de Oliveira - Minas Gerais

Nenhum comentário: