quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Nossa Senhora das Mercês ou Mercedes - Padroeira do Peru


Nossa Senhora das Mercês ou Mercedes - Padroeira do Peru
Liturgia: 24 de setembro


A devoção da Virgem das Mercedes no Peru se remonta aos tempos da fundação de Lima.   Os Mercedários não somente evangelizavam a região mas também foram gestores do desenvolvimento da cidade ao edificar templos que hoje se conservam como valiosos patrimônios históricos, culturais e religiosos.
Os freis chegaram com sua celestial Patrona, a Virgem das Mercedes, devoção Mariana do século XIII. Por volta do ano 1218.    Conta-se que os Padres Mercedários, que chegaram ao Peru junto com os conquistadores,  haviam edificado sua primeira igreja primitiva conventual desde 1540, templo de serviu como primeira paróquia de Lima até a construção da Igreja Maior em 1540.
 

Considerada no início padroeira oficial das Forças Armadas, Nossa Senhora das Mercês é cultuada no Peru desde o século XVI. Era invoca da como padroeira especial de Lima, a capital do país, mas logo seus colonizadores a proclamaram padroeira de toda a nação peruana.  Essa devoção foi trazida à América, em especial ao Peru, pelos padres mercedários, cuja ordem foi fundada por São Pedro Nolasco, aconselhado por Nossa Senhora, para resgatar os cativos infiéis.

Conta a história dessa ordem que, por volta de 1218, época em que os cristãos da península ibérica eram escravizados pelos mouros, a ponto de perderem sua fé e sua inocência, Nossa Senhora apareceu em sonho a três homens: Pedro, militar francês de origem fidalga, que veio a ser São Pedro Nolasco; Raimundo, um dos mais notáveis teólogos de sua época, mais tarde São Raimundo Peñaforte; e Jaime, piedoso rei de Aragão, convidando-os a fundar uma ordem religiosa com a missão de trazer os cristãos cativos de volta para a fé. Quando descobriram que os três tiveram a mesma visão, não duvidaram de que esta era a vontade de Deus, e resolveram fundar a Ordem que recebeu o nome de Ordem Real e Militar de Nossa Senhora das Mercês para o Resgate dos Cativos.

Em sua iconografia Nossa Senhora das Mercês aparece em geral semelhante à Virgem do Carmo, pois segura uma espécie de insígnia com o brasão dos mercedários. Outras vezes aparece abrigando sob seu manto dois escravos ajoelhados, sendo que um deles tem algemas e grilhões nos braços. O que a identifica é principalmente sua vestimenta, uma túnica presa à cintura e sobre ela um escapulário com as armas da Ordem.

Foi proclamada em 1730 “Patrona dos Campos do Peru” e “Patrona das Armas da República” em 1823. Al cumprir-se o primeiro centenário da independência da nação, a imagem foi solenemente coroada e recebeu o título de “Gran Mariscala do Peru”. O dia 24 de setembro de 1921, solenidade de Nossa Senhora das Mercedes, desde então declarada festa nacional, quando o exército lhe rende honras. A imagem é portadora de numerosas condecorações ortogadas pela república, seus governantes e instituições nacionais. Em 1790 recebeu as chaves da cidade de Lima, em 1971 o presidente da república lhe condecorou com a Gran Cruz do Mérito Naval, gestos que demonstram o carinho e a devoção do país.

Fontes: diversas

Nenhum comentário: