sábado, 11 de junho de 2011

Igreja Católica alegre pelo fim da mutilação genital da mulher

Alegria da Igreja pela lei sobre a revogação da mutilação genital feminina    
ÁFRICA/GUINÉ-BISSAU

"Gostaria de agradecer ao Parlamento pela aprovação da lei contra a mutilação genital feminina em nosso país. É um sinal de grande compromisso em defesa dos grupos mais vulneráveis de nossa sociedade", disse o Bispo de Bissau, Dom José Camnate, numa nota enviada à Agência Fides pela Cúria de Bissau.

Sobre a medida se discutia desde o ano 2000, mas nunca se tinha chegado a um acordo definitivo, sublinha a nota. Segundo Dom Camnate, provavelmente serão prevalecidos alguns valores que levaram os deputados a buscar um caminho seguro para proceder e não permitir que sobres os direitos humanos prevaleçam as opiniões subjetivas de alguns grupos.

A Igreja Católica, em virtude da lei aprovada, continuará a colaborar com as autoridades civis para garantir a tutela das crianças. A lei foi aprovada com 64 votos a favor, 3 abstenções e 1 voto contra, e prevê penas de um a cinco anos de prisão para quem pratica a mutilação genital feminina. (AP) (10/06/2011 Agência Fides)

O que não vão lhe dizer em uma clínica de aborto...

1 - Não vão dizer para você que O ABORTO PODE PREJUDICAR SUA SAÚDE

Muitas pessoas acreditam que abortar é tão fácil como extrair um dente. Muito pelo contrário, o aborto é um procedimento muitíssimo delicado, que pode ter graves conseqüências. O pessoal encarregado desta prática insiste em minimizar as complicações ou simplesmente afirmar que não existem. Isto não é verdade. O fato é que muitas mulheres têm sofrido danos físicos em conseqüência de abortos   provocados "legalmente'.
O músculo cervical pode sofrer dano, pois o colo do útero (cérvix) é forçosamente dilatado. Isto significa que numa gravidez futura há grande possibilidade de se perder o bebê por aborto espontâneo ou parto prematuro. O dano ocasionado nas paredes uterinas é outra preocupação. 

Perfurações do útero, infecções, hemorragias e coágulos de sangue são apenas algumas das complicações que você poderá sofrer  em um aborto provocado. Ainda que você possa sair aparentemente "bem" de um aborto provocado, no futuro poderá apresentar problemas de esterilidade, gravidez fora do útero ou freqüentes abortos espontâneos.

Algumas mulheres só engravidam uma vez na vida. Quem sabe seja este o único bebê que você poderia ter! Um aborto aumenta a possibilidade de não tornar a engravidar quando desejar ter um filho. Você quer mesmo correr este risco?

2 - Não vão dizer para você que  O ABORTO DEIXA CICATRIZES EMOCIONAIS

É muito comum que uma mulher sofra as conseqüências de sua decisão poucos dias depois de ter abortado. Se estas conseqüências não aparecem imediatamente, virão com o tempo. 

Os problemas emocionais se manifestam de várias formas: uma depressão inexplicável, seu afastamento das demais pessoas, emoções reprimidas, endurecimento do instinto maternal (que pode resultar no abuso ou descuido dos filhos que a mulher ainda possa ter), fortes sentimentos de culpabilidade e até mesmo pensamentos de suicídio. Não se deixe enganar. Cada aborto provocado acarreta conseqüências emocionais graves.

3 - Não vão dizer para você que  UM ABORTO PROVOCADO MATA O BEBÊ

Antes de você saber que está grávida, o coração do novo ser já terá começado a pulsar. 

Com seis semanas de desenvolvimento já é possível detectar ondas cerebrais e o bebê se move e responde ao tato. Com oito semanas, o bebê está perfeitamente desenvolvido, com os dedos das mãos e dos pés, e já apresenta as suas próprias impressões digitais.

Na décima semana, já pode franzir a testa, levar até a boca e chupar o seu dedo polegar. Se você tocar suavemente seu nariz, ele moverá a cabeça. Entre a décima - primeira e duodécima semana, todos os sistemas do seu corpo estão presentes e funcionando. Tudo  o que necessitará, daqui para frente, para ser um  recém-nascido saudável, é  questão de tempo e nutrição. Nenhum órgão ou sistema se desenvolve mais, nele, depois de doze semanas.

4 - Não vão dizer para você que O ABORTO  É  UMA VIOLÊNCIA
O método de aborto mais comum em gravidez de poucas semanas é o de "sucção por aspiração". O colo uterino é dilatado à força. Então um aspirador com uma potência 29 vezes maior que a de um aspirador doméstico é usado para sugar "o conteúdo do útero".

O método chamado "D & E" é usado em gravidez de quinze semanas ou mais.  Como no método de sucção, o bebê é cortado em  pedaços. Neste caso, o "médico" usa um instrumento especial para separar os braços e as pernas do resto do corpo. Em seguida pressiona sua cabeça para sugar o cérebro e esmagar o crânio. Só então continua retirando o resto do corpo.

Outro método empregado para abortar, depois de 15 semanas, utiliza uma solução salina, injetada no saco amniótico, causando envenenamento ao bebê. Isto também queima a camada externa de sua pele. Por mais de uma hora o bebê entra em convulsão, até morrer nessa agonia. Agora a mãe já pode dar à luz  um bebê martirizado... e morto.

Ao aborto praticado no último trimestre da gravidez denomina-se "histereoctomia". Consiste em se fazer uma incisão no abdômen da mãe, para retirar o bebê do ventre materno e deixá-lo morrer por si mesmo.

5 - Não vão dizer para você que O ABORTO EXPLORA A MULHER

Os conselheiros das clínicas de aborto usam termos obscuros como "produto da concepção", "conteúdo do útero", "tecido fetal" etc., para referir-se ao bebê.

Raramente aconselharão você a continuar com a gravidez, pois para eles o aborto é um negócio, cujo propósito é auferir lucros. Diríamos então que eles estão se aproveitando  de seu  problema, isto é, explorando-a, para  ganhar  dinheiro.

Quem ministra o aborto ganha mais dinheiro em 30 minutos do que durante os nove meses da  mulher engravidada. Eles não pensam em você... Mas só no dinheiro que podem conseguir à sua custa.

6 - Não vão dizer para você que HÁ ALTERNATIVAS PARA O ABORTO
Existem muitas organizações que podem oferecer um apoio prático em caso de gravidez inesperada: oferecem, por exemplo, roupas para a mãe grávida e para o bebê que vai nascer, residência, cuidados pré-natais e ajuda econômica. Também oferecem conselheiras que podem ajudá-la durante esse período difícil.

Por favor, pense cuidadosamente em seu futuro. A decisão que você tomar agora vai afetá-la para todo o resto de sua vida. Se você não está segura ainda sobre a decisão de abortar, conceda a você mesma uns dias mais, e pense seriamente. Não permita que ninguém a pressione a tomar uma decisão demasiado rápida, para a qual não se sinta devidamente preparada.

Procure ajuda. Você não está sozinha. Há muita gente que  pode e quer ajudá-la e vai dizer sempre a verdade que você precisa saber a respeito de aborto.

Esta é uma decisão muito difícil de fazer. Por favor, seja madura. Só uma pessoa imatura pensa unicamente em si mesma.
Este folheto não foi escrito por nenhum militante de uma organização pró-vida, nem por uma avozinha de sessenta anos que nunca enfrentou o problema de uma gravidez inesperada.

Foi escrito por uma jovem  mulher de dezoito anos, que também já ficou grávida. Uma mulher que tinha medo de enfrentar sua gravidez, como acontece com você agora, e que decidiu abortar.
Nove anos depois, inteiramente arrependida, agora entendo o que fiz e o que deveria ter feito. Por esta única razão, eu gostaria que você soubesse...O QUE ELES NÃO ME DISSERAM.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Governador Alckmin assinou convênio com CDHU para indenizações e reassentamento das famílias de Guarulhos

O governador Geraldo Alkmin assinou convênio com a CDHU para indenizar ou reassentar as famílias que residirem nos trechos que serão atingidos pelo Rodoanel Norte, que atravessa Guarulhos. 

Essa foi uma das preocupações da Igreja Católica de Guarulhos e nossa, apontadas na visita feita pelo presidente da DERSA, Laurence Casagrande Lourenço.

Segundo matéria do Diário de Guarulhos, os investimentos para acolhimento das famílias serão de R$155 milhões.   Há a informação que cerca de 2.000 famílias serão atingidas pelas obras do Rodoanel.  

Cerca 1.400 famílias devem optar pela indenização em dinheiro e as demais entram na modalidade de unidades habitacionais e poderão um imóvel novo da CDHU no valor de R$90 mil.  Se necessitarem mudar para outro local, até a entrega da casa nova, receberão R$480 mensais de auxílio-aluguel.  O prazo para a CDHU solucionar essa questão habitacional será de 3 anos. 

Aborto e casamento dos homossexuais serão debatidos nas eleições presidenciais dos EUA

Bastante tempo antes da campanha eleitoral para a presidência dos EUA, os partidos Republicano e Democrata começam a escolher os seus candidatos. No lado Republicano, os candidatos que se apresentaram, Donald Trump e Mitt Romney, já colocaram o tema aborto em debate.  Trump, que já desistiu,  declarou-se convertido contra o aborto. Mitt Romney rejeita o aborto e a união de homossexuais em suas propostas de governo. Veja abaixo. 
Mitt Romney
02/06/2011 às 17:05:05 - Atualizado em 02/06/2011 às 17:05:05
Romney lança pré-candidatura à presidência dos EUA
Agência Estado
Mitt Romney lançou formalmente sua campanha para 2012 hoje, entrando na disputa interna do Partido Republicano para a escolha de quem representará a legenda nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. Romney é considerado o nome mais forte do partido para enfrentar o presidente Barack Obama, que deverá tentar a reeleição pelo Partido Democrata, mas sua candidatura também é vista como bastante vulnerável.
Romney fez o anúncio em New Hampshire, um Estado crucial para sua estratégia. Em 2008, quando tentou ser candidato, ele ficou em segundo lugar nas primárias republicanas em New Hampshire e desde então tem investido pesado no Estado. Embora Romney, ex-governador de Massachusetts, lidere entre os republicanos que buscam um nome capaz de enfrentar Obama, ele é considerado moderado demais por muitos conservadores do partido e eles possuem peso político, a nível nacional, na nomeação do candidato.
A corrida republicana para 2012 ainda está indefinida. A ex-governadora do Alasca, Sarah Palin, ainda não disse se concorrerá ou não. Palin, que em 2008 foi candidata a vice-presidente na chapa de John McCain, ganhou as manchetes nesta semana quando realizou uma turnê de ônibus por parte dos Estados Unidos. Durante sua viagem, Palin parou em Nova York, onde na terça-feira jantou com o magnata Donald Trump, outro republicano. Trump também cogitou se lançar pré-candidato a presidente pelo Partido Republicano, mas desistiu.
O governador do Texas, Rick Perry, também é considerado um potencial candidato. A congressista Michele Bachmann também cogita se candidatar, possivelmente representando o Tea Party, ala ultraconservadora dos republicanos.
Mas Romney construiu nos últimos anos uma equipe política mais experiente e levantou uma soma considerável de dinheiro para sua campanha. Ele tentou apelar para a ala mais direitista do partido, ao rejeitar o aborto, o controle de armas e o casamento dos homossexuais.
Em trechos da sua mensagem, liberados antes do anúncio formal da pré-candidatura, Romney coloca em destaque os problemas econômicos e a frustração do eleitorado americano: a falta de empregos, as persistentes falências das pequenas empresas e os gastos desenfreados do governo. Romney atacou Obama e disse que o presidente fracassou em cumprir suas promessas da campanha de 2008. "Obama falhou com a América", disse.
Foi uma mensagem esculpida para os conservadores na Carolina do Sul e em Iowa, bem como para os independentes, que formam o maior bloco político republicano em New Hampshire. Os três Estados terão as primeiras primárias do Partido Republicano.
Entre os obstáculos que Romney terá que superar está a desconfiança dos cristãos evangélicos, ala forte no Partido Republicano. O ex-governador de Massachusetts é mórmon. As informações são da Associated Press.
Fonte:  ParanaOnLine

Eleita a nova Presidência do Regional Sul 1

O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Pedro Scherer, foi eleito na tarde de ontem, 8, o novo presidente do Regional Sul 1 da CNBB (estado de São Paulo). A eleição aconteceu durante a 74ª Assembleia do Regional, que acontece desde terça-feira, 7, em Aparecida (SP).
O bispo de São José dos Campos,  dom Moacir Silva, foi reeleito vice-presidente. Para secretário do Regional, a assembleia elegeu o bispo auxiliar da arquidiocese de São Paulo, dom Tarcísio Scaramussa.

A pauta de trabalhos desta quinta-feira, 9, prevê a definição do tema da Assembléia das Igrejas, que será realizada em outubro próximo, além de comunicações. Uma celebração às 11h30 encerra o encontro que reuniu 130 pessoas, entre bispos de todo o Estado de São Paulo, padres subsecretários das oitos sub-regiões pastorais do Regional (Aparecida, Botucatu, Campinas, Ribeirão Preto I e II, São Paulo I e II e Sorocaba), coordenadores diocesanos de pastoral e responsáveis por Organismos do Regional  Sul 1 da CNBB.
Fonte: CNBB

quinta-feira, 9 de junho de 2011

A ditadura gay

Carlos Apolinário
Carlos Apolinario*

De alguns anos para cá, muito se tem falado sobre gays e lésbicas. Em todas as Casas Legislativas, e também no Executivo, têm sido aprovadas leis a esse respeito -e ainda existem muitos projetos em tramitação.

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou a lei nº 10.948/ 2001, que determina: se alguém for acusado de discriminar um gay em uma empresa, além da multa e do processo penal, o estabelecimento poderá ter cassada a licença de funcionamento. Ou seja, se a empresa tiver 200 funcionários e sua licença for cassada, todos serão punidos com a perda do emprego.

O movimento gay faz um intenso lobby para que o Congresso Nacional altere a lei nº 7.716, que define os crimes de racismo.

O objetivo das lideranças gays é que a legislação passe a punir também aqueles que têm uma opinião divergente das suas.

Se alguém falar contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, ou disser que não concorda com a adoção de crianças por homossexuais, poderá ser processado.

E mais: caso essa lei seja alterada, não poderei falar da Parada Gay, nem mesmo fazer o discurso contra a instalação da Central de Informação Turística GLS pela Prefeitura de São Paulo, como fiz na Câmara Municipal. E não poderia nem escrever este artigo.

A Constituição Federal assegura o direito à liberdade de expressão.

Podemos criticar divórcio entre héteros, sindicatos, empresários, políticos, católicos, evangélicos, padres e pastores, mas, se falarmos contra o pensamento dos gays, somos considerados homofóbicos e nos ameaçam, até com processos.

Punir alguém por manifestar opinião divergente é próprio das ditaduras. Eu tenho a convicção de que já estamos vivendo numa ditadura gay, pois, na democracia, qualquer pessoa pode discordar.

Eu não concordei com a Prefeitura de São Paulo quando ela proibiu as manifestações na avenida Paulista, mas lá manteve a Parada Gay. A Paulista é uma via de acesso aos principais hospitais da cidade.
Por esse motivo, foi proibida a realização de eventos, entre eles a comemoração do Dia do Trabalho promovida pela CUT e a Marcha para Jesus. Não faz sentido manter a Parada Gay na Paulista.

Por defender essa posição, sou acusado de ser homofóbico.

Também sou acusado de homofobia por me manifestar contrariamente à participação da prefeitura na criação da Central de Informação Turística GLS no Casarão Brasil, sede de uma ONG gay.
Não é correto usar o dinheiro público para dar privilégio a um grupo. O ideal é criar um serviço que atenda a todos os segmentos sociais, já que a Constituição diz que todos somos iguais perante a lei.

Respeito o gay e a lésbica, pois, como cristão, aprendi o significado e o valor do livre-arbítrio, mas discordo da exclusividade que o poder público dá à comunidade gay.

Essas medidas tornam os homossexuais uma categoria especial de pessoas. Do jeito que as coisas vão, daqui a pouco alguém apresentará um projeto transformando São Paulo na capital gay do país.


CARLOS APOLINARIO é vereador em São Paulo. Foi deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, governador do Estado por dez dias e deputado federal.

*Este artigo foi publicado no jornal Folha de S. Paulo, página A3, na edição de 7 de junho de 2010.

Clínicas de abortos são fechadas no Rio de Janeiro


Nos últimos dias, a polícia fechou duas clínicas de abortos no Rio de Janeiro e prendeu várias pessoas, entre médicos,  funcionários e pacientes. Veja as matérias abaixo. Vote pela vida em http://www.saopaulopelavida.com.br/    


Clínica de aborto é fechada na zona norte cariocaDois médicos foram presos. Uma mulher foi achada sedada em cima de uma maca
iG Rio de Janeiro | 06/06/2011 18:07
Policiais da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro fecharam nesta segunda-feira (6) uma clínica de aborto em Vila Isabel, na zona norte da capital fluminense.
Foram apreendidos no local R$ 12 mil em espécie, documentos, materiais e remédios. As mulheres que estavam na sala de espera estão sendo conduzidas para prestar depoimentos como testemunhas. Os envolvidos serão levados à 19ª DP (Tijuca).Dois médicos, uma funcionária, um segurança e duas mulheres foram presos. Uma delas havia acabado de passar pelo procedimento. Para a outra, que estava ainda sedada em cima de uma maca, houve necessidade de chamar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).
Clinica de aborto é fechada em Botafogo
Doze pessoas foram presas na clínica já havia sido fechada em 2008 e 2009
Por: Redação O TERMINAL
Policiais da Delegacia do Consumidor (Decon) fecharam, na manhã desta quinta-feira, uma clínica de aborto que funcionava na Rua Dona Mariana, 225, em Botafogo, na Zona Sul do Rio.  Não foi a primeira vez que o local foi fechado. Em 2008 e 2009 a polícia já havia fechado a clínica.
Na operação, doze pessoas foram presas pessoas entre funcionários e os médicos, que foram autuados em flagrante pelos crimes de prática de aborto e formação de quadrilha. Duas pacientes também foram  presas, já que estavam na clínica para interromper a gravidez. As mulheres vão responder pelo crime de consentimento ao aborto.

Clinica de aborto é fechada em Botafogo
Doze pessoas foram presas na clínica já havia sido fechada em 2008 e 2009
Por: Redação O TERMINAL
Policiais da Delegacia do Consumidor (Decon) fecharam, na manhã desta quinta-feira, uma clínica de aborto que funcionava na Rua Dona Mariana, 225, em Botafogo, na Zona Sul do Rio.  Não foi a primeira vez que o local foi fechado. Em 2008 e 2009 a polícia já havia fechado a clínica.
Na operação, doze pessoas foram presas pessoas entre funcionários e os médicos, que foram autuados em flagrante pelos crimes de prática de aborto e formação de quadrilha. Duas pacientes também foram  presas, já que estavam na clínica para interromper a gravidez. As mulheres vão responder pelo crime de consentimento ao aborto. ( Jornal O Terminal )

PAQUISTÃO: PROPOSTA DE PROIBIR A BÍBLIA NO PAÍS

Karachi, 06 jun (RV) - O partido islâmico radical Jamiat Ulema-e-Islã entrou com um recurso no Tribunal Supremo do Paquistão e lançou uma campanha de sensibilização pedindo que se proíba a circulação da Bíblia, definida por eles, “livro pornográfico” e “blasfemo”. É um novo ataque contra a comunidade cristã no Paquistão, que está com medo por causa dos ataques e ameaças sofridos depois da morte de Bin Laden, amedrontada pela lei da blasfêmia, que pune com a pena de morte aqueles que insultam o Alcorão ou o Profeta Maomé.

O grupo radical Jamiat Ulema-e-Islam, que tem sede geral em Karachi, lançou a campanha durante um encontro público. Segundo o líder do grupo, Abdul Rauf Farooqi, alguns trechos da Bíblia descrevem como “imorais” alguns personagens considerados profetas pelos muçulmanos.

“Esta ação pode alimentar o ódio religioso contra os cristãos. É uma ameaça à convivência pacífica, um ataque ao coração de nossa fé” – disse, desconcertado, Padre Saleh Diego, que preside a “Comissão Justiça e Paz” na arquidiocese de Karachi. “Como cristãos, estamos já muito fragilizados e nos sentimos submetidos a pressões pela iníqua lei da blasfêmia. Estes grupos radicais querem nos cancelar completamente. Certo, são apenas grupos minoritários e auspiciamos que líderes muçulmanos moderados levantem suas vozes para deter esta campanha de ódio” – destacou.

“Nossa resposta, como cristãos no Paquistão, não pode ser outra do que reiterar a urgência do diálogo e do respeito de todos os símbolos religiosos e livros sagrados, de todas as religiões. Esperamos que em nível internacional possa surgir uma resposta mais forte e firme, que nos apóie” – concluiu Padre Diego, pedindo uma mobilização dos cristãos e das instituições internacionais para deter a campanha contra a Bíblia. (SP)



Fonte: Rádio Vaticano - 06/06/2011 13.06.52

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Unidade especial anti-pedofilia resgata 400 crianças em um ano (Inglaterra)

Centro estabelecido em 2006 na Grã-Bretanha já resgatou mais de mil crianças em situação de risco.

Uma unidade especial de combate à pedofilia resgatou mais de 400 vítimas de abuso no ano passado, colocando-as em programas de proteção à criança.

Em seu relatório anual, o Centro de Proteção Online e contra Exploração Infantil (Ceop, na sigla em inglês) disse que, como resultado, mais de 500 pessoas foram presas por crimes sexuais no período.

'Há muito mais abuso infantil por aí do que é reportado. É uma grande preocupação, é algo sobre o qual todos precisam se unir para fazer algo a respeito', disse o diretor da agência, Peter Davies.

Para ele, esse fato é uma 'imensa tragédia'.

O centro foi estabelecido em 2006 com a função de investigar possíveis casos de pedofilia e processar os acusados.

Em cinco anos, o órgão disse que desmantelou quase 400 redes de crime sexual e prendeu quase 1.650 pedófilos. Cerca de mil crianças foram resgatadas.

Só no ano, foram 513 presos, com 132 redes desmanteladas e 414 crianças resgatadas, diz o relatório.

Crimes online

Um dado inquietante do documento é a avaliação, com base em análises de fotografias apreendidas, de que cada vez mais as redes de pedofilia têm buscado vítimas mais jovens para cometer seus abusos.

Nos últimos cinco anos, grande parte do esforço do órgão se voltou para as redes sociais e os últimos desenvolvimentos em tecnologia.

O especialista em segurança online Jon Taylor, um ex-policial que fingiu ser uma garota de 12 anos para investigar esse tipo de crime na internet, disse que é relativamente fácil se passar por vítima potencial para atrair os predadores, ou por pedófilo para conhecer outros suspeitos.

O problema, ele diz, é que a internet não é um ambiente 'patrulhado proativamente'.

'Estamos lidando com o que chamamos um crime não-estatístico, e a polícia realiza o policiamento através das estatísticas', ele afirma.

'Se o crime for registrado, será investigado. Mas o abuso infantil, especialmente online, muitas vezes não é registrado.'

Ele defende que é justamente nas redes sociais que as investigações devem se focar, por serem o espaço onde por natureza as pessoas buscam se encontrar.

'É exatamente por serem mídias sociais que as crianças vão utilizar essas ferramentas: para socializar, para frequentar as salas de bate-papo, para compartilhar arquivos, para usar as webcams', diz. 'Há todas essas áreas que os predadores sexuais e infantis vão usar em seu próprio benefício.'


Fonte:  Jornal Meio Norte  31-05-2011 08:52

Areópago digital


Paulo de Tarso, apóstolo, admirável por sua erudição, religiosidade e caráter cosmopolita, por isso erecedor da consideração que, depois de Jesus Cristo, seu Senhor, é único, esteve no famoso areópago de Atenas, no percurso de sua ação missionária. O evangelista Lucas, no livro dos Atos dos Apóstolos, capítulo dezessete, narra que o areópago era o lugar onde os atenienses e estrangeiros residentes na cidade passavam o tempo a contar ou a ouvir novidades. Lá os frequentadores queriam saber o que significavam as coisas. Convidado por filósofos epicureus e estóicos, carregando uma inquietação, e até revolta, por ver a cidade entregue à idolatria, Paulo foi ao local e, de pé, discursou movido pelo sonho e compromisso com a verdade, consciente que seu encontro é garantia da direção certa para a vida. É, também, possibilidade de correções de rumos e entendimentos que podem aprimorar a cidadania na sua integridade. 

O Papa Bento XVI, na sua mensagem para o 45º Dia mundial das Comunicações Sociais, em 5 de junho - domingo da ascensão do Senhor - trata sobre o areópago digital que emoldura a vida contemporânea. Essa festa litúrgica, importante no calendário da Igreja Católica, celebra o acontecimento da elevação de Jesus Ressuscitado aos céus, enquanto abençoava os discípulos e por eles era adorado, deixando-lhes a tarefa missionária de continuar sua obra. Voltando a Jerusalém, depois de revestidos do Espírito Santo, espalharam-se pelo mundo inteiro e entre desafios e exigências, próprios da época – como os temos, também, nos dias atuais -, cumpriram a tarefa do anúncio da Verdade e o compromisso com a autenticidade de vida, como é preciso na internet que configura e mantém, hoje, o areópago digital. O Papa refere-se à revolução industrial, produtora de mudanças profundas na sociedade com novidades inseridas no ciclo de produção e na vida dos trabalhadores, assim como à grande transformação operada no campo das comunicações, que guia o fluxo de amplas mudanças culturais e sociais. De fato, é impressionante o volume de informações e possibilidades de intercâmbio, partilhas e interação que a internet oferece.

Essa consideração aponta um fenômeno maravilhoso, acesso a tudo para todos, em processo de socialização, gerando responsabilidades e exigindo reflexões para que não se percam os parâmetros das obrigações, sem comprometimentos com a cidadania. Como também, entre outros aspectos, a exigência, em qualquer âmbito: no trabalho profissional, na família, no governo de instituições ou no exercício missionário das confissões religiosas, a importância insubstituível e inadiável no uso das ofertas e possibilidades próprias da tecnologia da informação. Conhecimentos e informações são difundidos, produzindo nova maneira de pensar e aprender, com uso adequado, como oportunidades inéditas de estabelecer relações e construir comunhão, salienta o Papa. No entanto, há o desafio de refletir sobre o sentido da comunicação na era digital. As possibilidades oferecidas pelos novos meios são maravilhosas, não dispensam reflexões, encaminhamentos e ordenamentos quanto às extraordinárias potencialidades da internet e a complexidade de suas aplicações. O Papa lembra que esse fruto do engenho humano tem que estar a serviço do bem integral, tanto da pessoa quanto da humanidade. Ele recomenda que, usada com sabedoria, pode contribuir para satisfazer o desejo de sentido, verdade e unidade, que permanece como aspiração mais profunda do ser humano.

Compreende-se que essa conquista do engenho humano não é apenas um facilitador de trabalhos ou algo moderno que, por exemplo, substituiu a velha máquina de datilografia. Ou trouxe possibilidades de saber coisas com mais agilidade, não dispensando ninguém, nem as instituições, em particular as educacionais, de abraçar, mesmo com muitos investimentos a prática nesse areópago digital. A força de uma rede social aponta a importância do conhecimento partilhado e a interação. É verdade que desafia o entendimento da comunicação como diálogo, intercâmbio, solidariedade e criação de relações positivas, sublinha Bento XVI; e a colisão com a parcialidade da interação, até o risco de cair no narcisismo. O mundo mudou, está mudando e vai mudar ainda mais, com exigências e desafios no anúncio da verdade. Na vivência da fé, no exercício comprometido da cidadania, possibilitando e exigindo participação na vida da cidade e na defesa dos direitos. É inevitável, para não correr o risco de estar fora do mundo e não realizar a própria missão, dominar o alcance do social network do contemporâneo areópago digital.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte

terça-feira, 7 de junho de 2011

Um cristão é assassinado a cada cinco minutos


Introvigne fala sobre diálogo inter-religioso em Budapeste
A cada cinco minutos, um cristão morre assassinado em razão de sua fé: este é o arrepiante dado difundido pelo sociólogo Massimo Introvigne em sua intervenção na Conferência Internacional sobre Diálogo Inter-Religioso entre Cristãos, Judeus e Muçulmanos, realizada em Gödöllö (Budapeste), promovida pela presidência húngara da União Europeia.

Introvigne, representante da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) para a luta contra a intolerância e a discriminação contra os cristãos, indicou que 105 mil deles são assassinados cada ano por sua fé, contando somente os verdadeiros martírios, os que são levados à morte pelo fato de serem cristãos, sem considerar as vítimas de guerras civis ou entre nações.

"Se não se gritam ao mundo estes números, se não se põe fim a este massacre, se não se reconhece que a perseguição dos cristãos é a primeira emergência mundial em matéria de violência e discriminação religiosa, o diálogo entre as religiões produzirá somente encontros muito bonitos, mas nenhum resultado concreto", declarou o especialista.
No encontro, participaram personalidades importantes, como o presidente dos bispos europeus, cardeal Péter Erdö; o custódio da Terra Santa, Pe. Pierbattista Pizzaballa; o presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, Dom Antonio Maria Vegliò; o arcebispo maronita de Beirute, Paul Matar; o "ministro de Assuntos Exteriores" da Igreja Ortodoxa Russa, metropolitano Hilarion; o representante do Conselho Judaico Europeu, Gusztav Zoltai; o da Organização da Conferência Islâmica, Ömür Orhunn; e o secretário-geral da Comissão para o diálogo islâmico-cristão no Líbano, Hares Chakib Chehab.

O diplomata egípcio Aly Mahmoud declarou que, no seu país, estão por chegar leis que protegerão as minorias cristãs, perseguindo como delito os discursos que incitam ao ódio e vetando as reuniões hostis no exterior das igrejas.
"Mas o perigo - destacou o cardeal Erdö - é que muitas comunidades cristãs no Oriente Médio morrem devido à emigração, porque os cristãos que se sentem ameaçados escaparão."

"Que a Europa se prepare para uma onda de imigração, desta vez de cristãos que fogem das perseguições", advertiu.
Por sua vez, o metropolitano Hilarion recordou que pelo menos um milhão de cristãos vítimas de perseguição no mundo são crianças.
Fonte: BUDAPESTE, segunda-feira, 6 de junho de 2011 (ZENIT.org)

Bento XV: consciência, democracia, ética, moral e religião

Estou muito feliz por poder começar a minha visita encontrando-vos, a vós que representais âmbitos qualificados da sociedade croata e o Corpo Diplomático. Dirijo a minha saudação cordial a cada um de vós pessoalmente e também às realidades vitais a que pertenceis: às comunidades religiosas, às instituições políticas, científicas e culturais, aos sectores artístico, económico e desportivo. Agradeço sentidamente a Mons. Puljić e ao Prof. Zurak as amáveis palavras que me dirigiram, bem como aos artistas que me acolheram com a linguagem universal da música. A dimensão da universalidade, que caracteriza a arte e a cultura, é conatural de um modo particular ao cristianismo e à Igreja Católica. Cristo é plenamente homem, e tudo aquilo que é humano encontra n’Ele e na sua Palavra plenitude de vida e de significado.

Este Teatro esplêndido é um lugar simbólico, que exprime a vossa identidade nacional e cultural. O facto de vos poder encontrar aqui, todos juntos, é mais um motivo de alegria do espírito, porque a Igreja é um mistério de comunhão e rejubila sempre com a comunhão na riqueza das diversidades. A participação dos Representantes das outras Igrejas e Comunidades cristãs, bem como das religiões hebraica e muçulmana, contribui para nos lembrar que a religião não é uma realidade aparte relativamente à sociedade: pelo contrário, é uma sua componente conatural, que evoca constantemente a dimensão vertical, a escuta de Deus como condição para a busca do bem comum, da justiça e da reconciliação na verdade. A religião coloca o homem em relação com Deus, Criador e Pai de todos, e, por conseguinte, deve ser uma força de paz. As religiões sempre se devem purificar segundo esta sua verdadeira essência, para corresponderem à sua genuína missão.

E aqui queria introduzir o tema central desta minha breve reflexão: a consciência. Transversal aos diferentes campos onde estais empenhados, este tema é fundamental para uma sociedade livre e justa, tanto a nível nacional como supranacional. Aqui penso naturalmente na Europa, de que a Croácia faz parte desde sempre no plano histórico-cultural, ao passo que, no plano político-institucional, está em vias de entrar na União. 



Pois bem, as grandes conquistas da idade moderna, ou seja, o reconhecimento e a garantia da liberdade de consciência, dos direitos humanos, da liberdade da ciência e, consequentemente, de uma sociedade livre, há que confirmá-las e desenvolvê-las mas mantendo a racionalidade e a liberdade abertas ao seu fundamento transcendente, para evitar que tais conquistas se auto-destruam, como infelizmente temos de constatar em não poucos casos. 


A qualidade da vida social e civil, a qualidade da democracia dependem em grande parte deste ponto «crítico» que é a consciência, de como a mesma é entendida e de quanto se investe na sua formação. Se a consciência se reduz, segundo o pensamento moderno predominante, ao âmbito da subjectividade, para o qual se relegam a religião e a moral, a crise do Ocidente não tem remédio e a Europa está destinada à involução. Pelo contrário, se a consciência é descoberta novamente como lugar da escuta da verdade e do bem, lugar da responsabilidade diante de Deus e dos irmãos em humanidade – que é a força contra toda a ditadura – então há esperança para o futuro.

Estou grato ao Prof. Zurak por ter lembrado as raízes cristãs de numerosas instituições culturais e científicas deste país, como aliás aconteceu em todo o continente europeu. O lembrar estas origens é necessário inclusive para a verdade histórica, mas é importante saber lê-las em profundidade a fim de que possam animar também os dias de hoje. Por outras palavras, é decisivo captar o dinamismo que está dentro do acontecimento, por exemplo, da criação duma universidade, ou dum movimento artístico, ou dum hospital. É preciso compreender o porquê e o como de isso ter acontecido, para se valorizar nos dias de hoje tal dinamismo, que é uma realidade espiritual que se torna cultural e, consequentemente, social. 



Na base de tudo, encontram-se homens e mulheres, encontram-se pessoas, consciências, movidas pela força da verdade e do bem. Foram citados alguns dos filhos ilustres desta terra. Gostaria de deter-me no Padre jesuíta Ruđer Josip Bošković, que nasceu em Dubrovnik há trezentos anos, no dia 18 de Maio de 1711. Ele personifica muito bem o consórcio feliz entre a fé e a ciência, que se estimulam reciprocamente a uma pesquisa ao mesmo tempo aberta, diversificada e capaz de síntese. A sua obra mais importante, Theoria philosophiae naturalis, publicada em Viena e depois em Veneza a meados do século XVIII, tem um subtítulo muito significativo: redacta ad unicam legem virium in natura existentium, ou seja, «segundo a única lei das forças existentes na natureza». Em Bošković, temos a análise, o estudo de múltiplos ramos do saber, mas temos também a paixão pela unidade. E isto é típico da cultura católica. Por isso, é sinal de esperança a fundação de uma Universidade Católica na Croácia. Espero que esta contribua para criar unidade entre os diversos âmbitos da cultura contemporânea, os valores e a identidade do vosso povo, dando continuidade à fecunda contribuição da Igreja para a história da nobre Nação croata. 


Voltando ao Padre Bošković, dizem os peritos que a sua teoria da «continuidade», válida tanto nas ciências naturais como na geometria, concorda magnificamente com algumas das grandes descobertas da física contemporânea. Que podemos dizer? Prestemos homenagem ao croata ilustre, mas também ao jesuíta autêntico; prestemos homenagem ao cultor da verdade que está bem ciente de quanto esta o supere, mas sabe também, à luz da verdade, empenhar profundamente os recursos da razão que o próprio Deus lhe concedeu.

Contudo, para além da homenagem, é preciso aproveitar o método, a abertura mental destes grandes homens. Voltemos, pois, à consciência como chave mestra para a elaboração cultural e a construção do bem comum. É na formação das consciências que a Igreja oferece à sociedade a sua contribuição mais específica e preciosa. Uma contribuição que começa na família e que encontra um reforço importante na paróquia, onde as crianças e adolescentes e, depois, os jovens aprendem a aprofundar as Sagradas Escrituras, que são o «grande códice» da cultura europeia; e, ao mesmo tempo, aprendem o sentido da comunidade fundada no dom: não no interesse económico ou na ideologia, mas no amor, que é «a força propulsora principal para o verdadeiro desenvolvimento de cada pessoa e da humanidade inteira» (Caritas in veritate, 1). 



Aprendida na infância e na adolescência, esta lógica da gratuidade é, depois, vivida nos diversos âmbitos, no jogo e no desporto, nas relações interpessoais, na arte, no serviço voluntário aos pobres e aos doentes, e, uma vez assimilada, pode-se concretizar nos âmbitos mais complexos da política e da economia, colaborando para uma polis que seja acolhedora e hospitaleira, e que ao mesmo tempo não seja vazia, nem falsamente neutra, mas rica de conteúdos humanos, com uma forte consistência ética. É aqui que os christifideles laici estão chamados a fazer render generosamente a sua formação, guiados pelos princípios da Doutrina Social da Igreja, por uma autêntica laicidade, a justiça social, a defesa da vida e da família, a liberdade religiosa e educativa.

Ilustres amigos, a vossa presença e a tradição cultural croata sugeriram-me estas breves reflexões. Deixo-vo-las como sinal da minha estima e sobretudo da vontade que tem a Igreja de caminhar com a luz do Evangelho no meio deste povo. Agradeço-vos pela vossa atenção e de coração abençoo a todos vós, os vossos entes queridos e as vossas actividades!

[©Libreria Editrice Vaticana]

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Presidente da Dersa visita Diocese para explicar Rodoanel em Guarulhos

O presidente da Dersa,  Laurence Casagrande Lourenço, acompanhado de vários técnicos,  se reuniu conosco, com os padres das regiões que poderão ser afetadas e com o jurídico da Mitra, para explicar a forma de execução do projeto do Rodoanel Norte, que atravessará Guarulhos.


Igreja Católica e famílias. A maior preocupação da Igreja Católica  diz respeito à situação em que ficarão as famílias e demais moradores das áreas que serão atingidas.
Traçado da estrada. O traçado da estrada ainda não foi definido, pois depende de análises do Conselho Estadual de Meio Ambiente e outros órgãos. 


Visitas de agentes. O presidente da Dersa informou que, depois de definido o traçado da estrada, os agentes da Dersa visitarão todos os moradores dos imóveis que forem atingidos, para tomar conhecimento da situação de cada um.  


Desapropriações. O presidente da Dersa explicou que os proprietários ou posseiros terão opções de acordo com a situação do imóvel que ocupam, a saber:
·         imóvel regularizado:  se o imóvel estiver regularizado, com escritura registrada no Registro de Imóveis, os proprietários poderão receber uma indenização de acordo com o valor de mercado;

·          imóvel quase regularizado:  se o imóvel estiver quase regular, dependendo de alguma documentação, a Dersa tentará ajudar o proprietário a regularizar o seu imóvel para receberem a indenização de acordo com o valor de mercado; 

·          ocupação irregular: se  o imóvel ocupar área de preservação permanente ou área que não poderia ter sido ocupada,   a Dersa oferecerá para a família a sua transferência  para uma casa ou apartamento,  a ser construído pela CDHU em local mais próximo possível do endereço atual.


Auxílio aluguel.  O presidente informou que a Dersa tem o programa de auxílio aluguel, para a família residir em outro imóvel até que a casa ou o apartamento de seu destino esteja construído.
Isolamento de bairros. O presidente da Dersa esclareceu que não haverá isolamento de bairros. Enfatizou que,  se a estrada cortar algum bairro dividindo-o em dois, será mantida a rua ou avenida existente que ligará as duas partes, através da construção de uma passagem de nível ou viaduto.    


Escolas.  O presidente disse que as escolas serão realocadas para prédios novos e modernos, a serem construídos pela Dersa,  sem nenhum prejuízo para os alunos e professores.

Fonte: Dersa
Preservação ambiental O presidente esclareceu que a preocupação ambiental é criteriosa e especializada, para preservar a fauna, a flora e os mananciais da região.
Conclusão da obra. O presidente prevê que até 2014 a estrada será entregue e  todas as famílias estarão alojadas em suas novas casas ou terão recebido as indenizações fixadas pelo valor de mercado.


Escritório em Guarulhos.   A Dersa manterá um escritório em Guarulhos, para atender todos os moradores e proprietários que tiverem seus imóveis atingidos pela obra do Rodoanel. 
Dom Luiz Bergonzini
Bispo de Guarulhos

Justiça de São Paulo realiza 59a. Páscoa Forense


Ao final, o desembargador Antonio Carlos Munhoz Soares, proferiu palavras de agradecimento
"todos os domingos precisamos fazer catequese dentro de casa porque é de jovem que a perseverança cresce. No próximo domingo é Dia de Pentecostes; compareçam às suas paróquias e comunguem para elevação da vida espiritual”. 

TJSP realiza a 59ª Páscoa Forense
        Com a presença do presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, desembargador José Roberto Bedran, cerca de 500 pessoas, entre desembargadores, magistrados, servidores do Tribunal de Justiça de São Paulo e familiares participaram na manhã de hoje (5), no Salão dos Passos Perdidos do Palácio da Justiça, da 59ª Páscoa Forense.


        A missa, celebrada pelo bispo auxiliar da região Episcopal Belém, da Arquidiocese de São Paulo, dom Edmar Perón, contou com a participação do Coral Vozes de São Paulo e teve a  presença do maestro José Roberto Palonino e da maestrina Dálete Alécio.

         A tradição da Páscoa Forense acontece há mais de meio século, com a celebração de uma missa que conta com a presença de desembargadores, juízes, funcionários e familiares, autoridades estaduais e municipais que se reúnem em torno da Eucaristia. 


        A comissão responsável pela organização da Páscoa Forense é composta pelos desembargadores Antonio Carlos Munhoz Soares, José Geraldo Barreto Fonseca, Zélia Maria Antunes Alves e pelos juízes Marco Fábio Morsello, Paulo Nimer Filho e Airton Vieira.


        ”É com grande alegria que me encontro entre vocês para celebrar junto essa eucaristia. Tenho oportunidade de conhecer essa magnífica casa, e aproveito para cumprimentar a todos em nome do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Roberto Bedran", disse dom Edmar Perón.


        A primeira leitura foi feita pelos funcionários do TJSP, Alexandrina Lourenço, do 16º Oficio Cível Central; a segunda, por Cecília Gagliardi, da 38ª Vara Cível Central, André Nassib Adas Cunha, da 27ª Vara Cível Central, fez a leitura do Salmo Responsorial e Raquel Nicolaev Capelli, da 6ª Vara da Família e das Sucessões Central fez a oração dos fiéis. O orador da cerimônia foi Luiz Gustavo Teixeira Coelho, do Gade - Gabinete dos Desembargadores.


        Das oferendas participaram os funcionários Antonio Lima de Fretas, do 1º Ofício de Acidentes do Trabalho; Rita Regina Lana, do 9º Oficio da Fazenda Publica da Capital; Ana Lucia Pereira Fonseca Monteiro, do Departamento de Execuções da Infância e da Juventude; Antonio Elizio de Araújo, do 2º Oficio de Falências; Zilzon Marcio Silva, do Serviço de Administração do Fórum Hely Lopes Meirelles e Arianna França, do Cerimonial e Relações Públicas.   


        Na oração dos fiéis foi pedida bênção à Família Forense de São Paulo com numerosas vocações de juízes, de promotores e de advogados com elevado saber jurídico, coragem, moral e acendrada probidade, para que possam servir com amor à Justiça e a ela dedicar os seus melhores esforços, em benefício do povo brasileiro.


        Ao final, o desembargador Antonio Carlos Munhoz Soares, proferiu palavras de agradecimento: "todos os domingos precisamos fazer catequese dentro de casa porque é de jovem que a perseverança cresce. No próximo domingo é Dia de Pentecostes; compareçam às suas paróquias e comunguem para elevação da vida espiritual”.


        Dom Edmar Perón encerrou a cerimônia dando benção aos presentes: “Que toda igreja olhe com esperança para esta casa e para os senhores que têm essa missão de buscar a Justiça”, completou.   


             Ao final, o Coral Vozes de São Paulo interpretou Alelluia, de Haendel. 

         O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Roberto Bedran, foi convidado a cortar o primeiro pedaço de bolo  e em seguida foi servido o café da manhã aos presentes.


        Também compareceram à 59ª edição da Páscoa Forenseo secretário dos Negócios Jurídicos do Municipio de São Paulo, professor Cláudio Lembo;  os desembargadores Antonio Carlos Malheiros, Alvaro Lazzarini e Renato Nalini; o juiz assessor da Corregedoria-Geral da Justiça, Carlos Dias Maria; as secretárias do Tribunal de Justiça Lilian Salvador Paula, Diva Elena Gatti da Mota Barreto e Sandra Regina Pereira; o chefe da seção de policiamento e guarda da Assessoria Policial Militar do Tribunal de Justiça, capitão PM Marcelo Henrique Silva, representando o comandante-geral da Policia Militar do Estado de São Paulo, entre outros.   
       
        Assessoria de Imprensa TJSP - SO (texto) / AC (fotos) - 05/06/2011

Aborto e pena de morte para inocentes

Numa reunião do Conselho Regional de Defesa da Vida, das dioceses do Estado de São Paulo, ouvimos o seguinte comentário: nos casos de estupro, o criminoso não é punido e o bebê inocente cumpre a pena de morte.

Pedimos aos advogados da Mitra Diocesana que fizessem um estudo da legislação e nos explicassem essa colocação. O estudo apontou, de um lado, que uma Norma Técnica, que é uma orientação de procedimentos, do Ministério da Saúde, assinada no governo Lula, pelo ministro Saraiva Felipe, em julho de 2005  (MS-Norma Técnica-2010), permitiam que as mulheres fizessem aborto sem nenhuma documentação, sem ser identificado o autor do crime. Essa norma também orientava os médicos a fazerem o aborto.

Nessa situação, os autores dos crimes sexuais não eram identificados e, realizado o aborto, o inocente e indefeso bebê cumpria a pena de morte, ou seja, era extraído do útero da mulher.


De outro lado, o estudo apontou a exigência das leis de punição dos autores do crime. O Estado precisa obedecer as regras para punir os criminosos e defender as demais pessoas dos seus atos.

Solicitamos, então, que o jurídico da Mitra fizesse uma solicitação ao Ministério Público local, para esclarecer essa questão. Em meu nome, o jurídico fez um extenso trabalho apontando a obrigatoriedade de registro de Boletim de Ocorrência (B.O.), abertura de inquérito policial e autorização judicial para o abortamento. No documento pedimos ao Ministério Público local para notificar o Conselho Regional de Medicina e o Sindicato Único dos Empregados em Estabelecimentos de Serviço de Saúde de Guarulhos, Itaquaquecetuba e Mairiporã da proibição de realização de abortos sem o B. O., inquérito policial e autorização judicial, para que informem seus filiados da proibição.

A Dra. Flávia Alice Cherubini Fogaça Braga, DD. Promotora de Justiça em Guarulhos, analisou atentamente o documento e determinou a notificação dos órgãos envolvidos com a saúde.

Entendemos que, a partir dessas notificações, nenhum aborto poderá ser realizado sem o registro de B.O. e autorização judicial.  Somos contrários à permissão e ligeração de aborto em qualquer circunstância. As pessoas que sofrerem abusos sexuais precisam apontar o autor do crime.   Crimes sexuais são cometidos até contra crianças, sejam meninos ou meninas.

Precisamos , toda a sociedade e autoridades unidas, identificar os criminosos sexuais, que causam danos às pessoas, às famílias e à sociedade.

Pedimos a todos cristãos diocesanos, católicos ou não, para denunciarem os profissionais de saúde ou pessoas leigas em medicina que estiverem realizando abortos, para aumentarmos o número de autores identificados pelos abomináveis crimes sexuais e reduzirmos punições de bebês inocentes que são condenados à morte sem ter praticado crime algum.

Dom Luiz Gonzaga Bergonzini
Bispo de Guarulhos

domingo, 5 de junho de 2011

Democracia em perigo: o golpe do Supremo Tribunal Federal


Com a decisão do dia 05/05 u.p. de equiparar a união homossexual à “entidade familiar” constituída entre um homem e uma mulher o Supremo Tribunal Federal (STF) acaba de assentar um duro golpe não somente contra o futuro da instiuição familiar mas também contra a democracia e o estado de direito, com sacrifício e fadiga conquistados nas últimas décadas.

No atual clima político se vive quase neuroticamente o medo de privar os homossexuais de direitos que eles não tem.

Assim como o cidadão comum não pode tomar assento no Supremo Tribunal Federal para julgar, pois não tem a capacidade e o reconhecimento da sociedae para isto, assim também os homossexuais não podem formar família, porque não tem a capacidade para tanto. Isto não é falta de respeito para com eles! Assim se expressa João Gabriel O. B. Marques afirmando também que o princípio da justiça é tratar desigualmente o que é desigual. É o que o Supremo não fez, atribuindo aos homssexuais uma capacidade que ele não tem!

O texto do artigo 1723 do Código Civil reconhce “como entidade familiar a união estável entre o homem e a mulher, configurada na convivência pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família.” Segundo os Minstros do Supremo interpretar este texo segundo a lógica comum seria um desrespeito aos homossexuais e assim inventaram a tal de “plurissiginficatividade” para fazer dizer ao texto o que ele não diz. Para não serem tachados de homofóbicos e preconceituosos optaram por assumir uma decisão “logicofóbica”, ou seja absurda.

Mas o aspecto mais perigoso desta decisão é o fato do Supremo ter usurpado o espaço do Legislativo. Escreve Ives Gandra no artigo “A Cosntiuição ‘conforme’ o STF”:”A Corte Constitucional da França, em 27/1/2011, houve por bem declarar que cabe ao Legislativo, se desejar mudar a legislação, fazê-lo, mas nunca ao Judiciário legislar sobre uniões homossexuais, pois a relação entre um homem e uma mulher, capaz de gerar filhos, é diferente daquela entre dois homens ou duas mulheres, incapaz de gerar descendentes, que compõem a entidade familiar. Este ativismo judicial, que fez com que a Suprema Corte substituísse o Poder Legislativo, eleito por 130 milhões de brasileiros -e não por um homem só-, é que entendo estar ferindo o equilíbrio dos Poderes e tornando o Judiciário o mais relevante dos três, com força para legislar, substituindo o único Poder que reflete a vontade da totalidade da nação, pois nele situação e oposição estão representadas”

Quando se fere o equilíbrio dos Poderes a democracia está em perigo!

Na época dos Generais o Congresso Nacional foi amordaçado com o pretexto do medo da “ameaça comunista” e as decisões, entre as quais os famosos Atos Institucionais, foram tomadas pelo Conselho de Segurança, que se colocou acima do Congresso justamente para garantir a Segurança Nacional.
Hoje o medo da “homofobia” está levando o Supremo a colocar-se acima do Congresso para garantir a defesa dos direitos dos homossexuais, supostamente ameaçados por um Congresso que não consege fazer apovar os “pacotes”, que vem do Executivo, entre os quais o famoso PNDH3.

Nos anos ’60 os inimigos da segurança da Nação eram os “comunistas”; hoje os que ameaçam o respeito e o crescimento dos Direitos Humanos, segundo o pensamento dos nossos líders políticos, são os “homofóbicos”.
Mudou o ptetexto, mas a moral da história é a mesma! Quem se atrevia então a falar contra a segurança da Nação? E quem se atreve hoje a falar contra os “assim chamados” direitos dos homossexuais?

Assim os Generais, ontem, e o Executivo (que sozinho escolhe os Ministros do Supremo), hoje, se arvoram em salvadores da Pátria, defendendo a segurança nacional, ontem, e os pseudo-direitos dos homossexuais, hoje. Podem chamar a isto como quiserem, mas eu chamo isto de ditadura, embora disfarçada.

Pe. Berardo Graz