segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Criados para o céu, poderemos terminar no inferno!

Dom Henrique Soares
Caro Internauta, estive viajando. Mas, não esqueci o compromisso de meditar com você sobre aquilo que nos espera em Cristo, no Cristo que vem, nele, nosso bendito e santo Salvador!

Já falei sobre o juízo e sobre o céu, a Vida eterna. Agora é a hora de falar sobre outra realidade, tremenda, que é o contrário da comunhão plena com o Pai através do Filho na potência do Espírito: meditarei sobre o inferno. Mas, antes, é necessário levar em conta três coisas importantes:

(1) Segundo a Escritura Sagrada e a fé cristã a história humana e a criação não têm dois fins, dois propósitos, duas finalidades, mas apenas um: a salvação. Em outras palavras: tudo caminha para a salvação, porque, como já vimos, Deus criou tudo para a comunhão com ele através do Filho Jesus. Deste modo, o triunfo de Cristo e dos seus é uma certeza absoluta: a humanidade será salva na glória eterna e a criação toda será transformada.

E a condenação eterna? Existe e é realmente possível para aqueles que não quiserem entrar na salvação que Deus oferece a todos! Dá para perceber a diferença, meu Leitor? Fomos criados para o céu, mas poderemos terminar no inferno! A salvação é para todos, é o destino de todos, a não ser daqueles que ficarem, livremente, fora dela. A condenação é, portanto, acidente de percurso, é escolha particular e não um destino que Deus colocou diante do homem! Deus nunca pensou em condenar ninguém: “Sim, tu amas tudo o que criaste, não te aborreces com nada do que fizeste; se alguma coisa tivesses odiado, não a terias feito. E como poderia se manter alguma coisa, se não a tivesses querido? Como conservaria sua existência, se não a tivesses chamado? Mas a todos perdoas porque são teus: Senhor, amigo da vida!” (Sb 11,24s).

Pois bem: Deus quer a salvação de todos, a vida de todos. Não é um Deus neurótico, que sente prazer em condenar e destruir o que ele mesmo criou com amor! Assim, é necessário deixar clara logo uma coisa: os textos da Escritura que falam de uma condenação eterna de modo nenhum podem simplesmente ser colocados ao lado dos que falam da salvação! A mensagem da Escritura é de salvação; Jesus trouxe uma Boa Nova, uma Alegre Notícia, um Evangelho: o Pai nos ama e nos quer com ele - esta é a mensagem central da Escritura. Eu posso dizer “não” ao Pai e ficar fora da salvação, ser condenado. Mas a condenação não é a finalidade da Escritura nem a sua mensagem central! Você já havia pensado nisso? E pensar que tem tanta gente e tanta religião que faz do inferno a sua pregação principal e vive pregando a ameaça do inferno para os outros... e chamam isso de pregar o Evangelho, a Boa Notícia!

16.12.2011
Dom Henrique Soares 
Bispo Auxiliar de Aeacaju

Nenhum comentário: