quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Combate à corrupção na sociedade e na Igreja: o compromisso dos religiosos - India


Nova Délhi (Agência Fides) - A transparência, a moralidade na vida pública e privada e o combate à corrupção estão no Dna do compromisso dos religiosos e de todos os cristãos na sociedade e na Igreja: é o que afirmou um Seminário realizado nos últimos dias em Jansui (no estado de Uttar Pradesh, norte da Índia), que teve o tema: "A nossa resposta à corrupção na sociedade e na Igreja". 

Como informam fontes da Fides, o Seminário, organizado pela Conferência dos Superiores Maiores da Índia reuniu mais de 60 delegados de institutos religiosos masculinos e femininos de diversas dioceses, e debateu a questão da corrupção, planejando estratégias para combatê-la. 

A luta à corrupção voltou ao auge no país depois da grande campanha pública lançada no início de 2011 pela líder Anna Hazare, que congregou a sociedade civil indiana e conseguiu levar uma proposta de lei ao Parlamento. 

A proposta, porém, ainda não foi examinada e o movimento está insistindo. "É necessário ter coragem para falar e tomar posição na vida real" - frisou em seu pronunciamento Irmã Deepa, da Congregação de Jesus, descrevendo as dimensões da corrupção na Índia e explicando que "nós também somos vítimas deste grande mal". "Precisamos nos libertar deste mal para desempenhar um papel profético na sociedade" - disse, assinalando que "existem membros do pessoal eclesial corruptos. Urge erradicar esta ameaça de nossas próprias comunidades". 

Notando que muitas vezes também os religiosos "não têm coragem de denunciar práticas corruptas, tornando-se de certo modo cúmplices, os participantes do seminário elaboraram uma lista de "ações comuns" necessárias para erradicar a corrupção. 

Ficou decidido de se trabalhar em dois planos concretos. O primeiro passo é compartilhar com os membros da comunidade de proveniência estes problemas, sensibilizando e criando a "consciência comum". Tal consciência deve ser, em seguida, levada a escolas, paróquias e associações juvenis, através de debates e assembleias. (PA) (Agência Fides 17/12/2011)

Nenhum comentário: