quinta-feira, 7 de julho de 2011

VENEZUELA -Para o Cardeal Urosa, o Bicentenário é "uma oportunidade para os venezuelanos tomarem o caminho de uma independência real e permanente, marcada pelos ensinamentos do Evangelho"

No contexto das celebrações do povo venezuelano para os 200 anos da assinatura da Declaração de Independência, a Igreja Católica reiterou a sua posição de rejeição a "tudo o que se opõe à liberdade e à paz, à solidariedade e justiça, a harmonia social e aos direitos humanos". Foi o que afirmou o Arcebispo de Caracas, Cardeal Jorge Urosa Savino, que publicou uma declaração na qual lembra as pessoas que participaram da emancipação do povo venezuelano católicos, como Simon Bolívar e religiosos como o primeiro Arcebispo de Caracas, Dom Ramón Ignácio Méndez, cujos restos mortais descansam no Panteão Nacional. "A comemoração do bicentenário é uma oportunidade para os venezuelanos tomarem o caminho da independência real e permanente, marcada pelos ensinamentos do Evangelho de Jesus Cristo", reitera a declaração. "O Cardeal Urosa convidou a respeitar todos os direitos", particularmente "aqueles sancionados pela Constituição, como base para uma convivência autêntica". 
Caracas CE) (Agência Fides 05/07/2011)

Nenhum comentário: