terça-feira, 28 de junho de 2011

ARGENTINA - "Escolher a vida e não a droga": a Igreja convida os jovens a refletir

Lujan (Agência Fides) - A Igreja na Argentina denunciou que "o flagelo do uso de droga está se expandindo", e pediu às autoridades para implementar políticas destinadas a ajudar aqueles que sofrem de dependência de droga. 


Cerca de oito meses atrás, os bispos advertiram que o uso de drogas na Argentina começa agora com a idade de oito anos, e agora a Comissão Nacional de Pastoral para os dependentes de droga, liderada por Dom Jorge Lozano, bispo de Gualeguaychú, advertiu que "há uma maior disponibilidade de substâncias, que podem ser compradas com muita facilidade", e está se verificando um aumento do tráfico de droga. 

Segundo o último Relatório Mundial sobre Drogas 2011, publicado pelas Nações Unidas há poucos dias, 7,2% da população entre 15 e 64 anos usaram maconha pelo menos uma vez no ano passado. E o número sobe para 7,6% entre os jovens 13 a 17 anos. "Existe uma oferta, se difunde a idéia de que a droga seja igual a um cigarro que não faz mal, e as autoridades políticas não transmitem mensagens claras", disse Dom Lozano numa coletiva de imprensa, também reiterou que a Igreja é cada vez mais consultada por famílias e jovens afetados pelo vício em drogas.

Durante um encontro de três dias, que terminou no dia 26 de junho, o que levou a Lujan os responsáveis pastorais de todas as dioceses da Argentina, a Comissão Nacional de Pastoral para os dependentes de droga atribuiu a expansão do uso de drogas ao crescente do tráfico de drogas. Este grave problema social é "o resultado de menos controle, um maior número de subornos, ameaças e ao fato de que a soberania foi deixada gangues mafiosas, que dominam bairros inteiros".

Após o encontro, que terminou com uma missa presidida por Dom Lozano na Basílica de Luján, foi emitido um comunicado que pretende sensibilizar o público sobre o crescente flagelo das drogas. O documento é intitulado

"Escolher a vida é melhor" e liga este "trágico crescimento", a combinação de quatro elementos: crime, corrpução, impunidade e tolerância social.

O relatório da ONU confirma que a Argentina é o primeiro país na América do Sul no o uso de maconha e em segundo lugar no uso de lugar no consumo de cocaína, depois do Brasil. Para a Igreja, o problema vai muito além das estatísticas e reforça a percepção de que a Argentina deixou de ser um país de trânsito de droga, mas agora é país de consumo. (CE) (Agência Fides, 27/06/2011)

Em espanhol: http://www.fides.org/spa/documents/ELEGIR_LA_VIDA_ES_MEJOR_26062011.doc

Nenhum comentário: