quinta-feira, 14 de abril de 2011

Os brasileiros não podem esquecer as raízes cristãs do Brasil

Bento XVI  "repreendeu nesta segunda-feira os europeus por esquecerem suas raízes cristãs, chamando-os de "amnésicos", por se recusarem a reconhecer a influência do cristianismo na Europa."(Bento XVI)
Primeira missa no Brasil em Porto Seguro-BA

O Cardeal francês Jean-LouisTauran reiterou que "o humanismo europeu e as grandes instituições européias como escolas, universidades e hospitais têm origem cristã."(reportagem no final)

O povo e os governantes brasileiros também não podem se esquecer que a civilização brasileira tem as raízes no cristianismo. Os primeiros atos marcantes dos navegadores  portugueses quando aqui chegaram foram  fincar a cruz de Cristo em Porto Seguro-BA e rezar a missa, sinais da fé em Jesus Cristo.  O Brasil teve o nome de "Terra de Santa Cruz".

Os brasileiros são religiosos, de várias denominações, predominando o cristianismo.  Os brasileiros não podem ser obrigados a serem ateus, ou a serem "laicos", como o governo francês está tentando fazer com seu povo.  O governo francês quer obrigar o povo a não ter religião, violando a liberdade de crença de cada um.  O governo não pode proibir as pessoas de usarem as vestes significativas de suas religiões.  

Precisamos ficar atentos para não permitir que aconteçam aqui as mesmas interferências do governo nas religiões, como as que estão ocorrendo na França.

12/04/2011 17.41.03
CARDEAL TAURAN: DEFENDER LIBERDADE RELIGIOSA E DENUNCIAR DISCRIMINAÇÃO
Estrasburgo, 12 abr (RV) - "O nome de Deus não deve ser invocado para justificar discriminações e violências" - este foi o apelo lançado, nesta terça-feira, em Estrasburgo, na França, pelo presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, Cardeal Jean-Louis Tauran, ao Conselho da Europa no debate sobre a dimensão religiosa do diálogo intercultural, do qual participaram expoentes de várias religiões. 
O Cardeal Tauran fez votos de que o Conselho da Europa "tenha sempre coragem de tomar decisões necessárias para promover e defender a liberdade religiosa". O purpurado convidou o Conselho da Europa a "denunciar todas as formas de perseguições, violências e discriminações por motivos religiosos, tanto na Europa quanto no resto do mundo". 
Em seu discurso, o cardeal francês recordou as intervenções de Bento XVI, João Paulo II e da Constituição Pastoral Gaudium et Spes em favor da liberdade religiosa. "A Europa é um berço de culturas e religiões, e Estrasburgo é um símbolo disso" – frisou o purpurado. 
O Cardeal Tauran reiterou que o humanismo europeu e as grandes instituições européias como, escolas, universidades e hospitais têm origem cristã. (MJ)



Por Dom Luiz Bergonzini

Nenhum comentário: