sábado, 9 de abril de 2011

Massacre no RJ: senadores entendem que erotização das crianças e pornografia estimulam crimes


O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) disse em Plenário, nesta sexta-feira (8), que a erotização precoce das crianças brasileiras pode ser uma das causas de crimes como o que aconteceu no Rio de Janeiro, em que um homem invadiu uma escola e matou 12 crianças. Em sua opinião, a imagem pejorativa que a televisão divulga da mulher pode gerar repugnância nos homens e causar transtornos emocionais que o levam a cometer crimes contra elas.
As vítimas da escola Escola Municipal Tasso da Silveira, no bairro carioca de Realengo, são, em sua maioria, meninas.
Crivella contou ter ouvido do "maníaco do parque" - homem que estuprou e matou pelos menos seis mulheres em 1998 em São Paulo - que seu repúdio às mulheres teria surgido por presenciar cenas de sexo no parque. O senador ressaltou que o atirador de Realengo passava muitas horas assistindo a pornografia na internet, o que pode estar relacionado com a explosão de violência.
- Como reage um menino que tem acesso a imagens de mulheres nuas tendo relações com outras mulheres e animais, um menino que, em sua índole e intuição primária, vê nas mulheres o reflexo da própria mãe? Quando esses meninos são expostos a imagens repugnantes, começam a ter alucinações e demência. Esse louco, que assassinou crianças, tinha acesso ao mesmo tipo de imagens que o maníaco do parque. Saiu para assassinar crianças, meninas que, na sua loucura, no futuro, seriam a impureza, a devassidão e tudo o que ele reputava como objeto de ódio - argumentou.
Em aparte, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) disse que a erotização precoce da criança desvia sua atenção para algo que ainda não faz parte de sua curiosidade. Na avaliação do senador, a sensualidade tem sido uma característica brasileira, diferentemente do que ocorre em outros países, como os Estados Unidos. Para ele, se não houver cuidado com as crianças, outras atitudes extremas poderão acontecer.
Medidas 
Marcelo Crivella também disse que o controle das fronteiras brasileiras poderá contribuir para a redução da entrada de armas e drogas no Brasil. Ele informou que propôs a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fronteiras. O senador apelou ao presidente do Senado, José Sarney, pela sua instalação, já que as assinaturas necessárias já foram colhidas.
Em aparte, o senador Blairo Maggi (PR-MT) avaliou que seria economicamente mais barato cuidar das fronteiras do que resolver as questões de tráfico de drogas e armas nos centros urbanos.
Para o senador Ivo Cassol (PP-RO), as Forças Armadas devem se instalar nas faixas de fronteiras e não nos centro urbanos. Ele observou que as circunstâncias atuais não apontam hipóteses de coma outros países ou conflitos ideológicos internos e, por isso, as Forças Armadas devem ter outras atribuições.
O senador Pedro Taques (PDT-MT) concordou que, neste momento, se deve rediscutir o papel das Forças Armadas.
BRASÍLIA (Agência Senado) - 08.04.2010

Nenhum comentário: