quarta-feira, 13 de abril de 2011

Lá como cá: verdade, honestidasde e bem comum

D. António Marto exige política assente no bem comum
Inserido em 12-04-2011 14:19


Bispo de Leiria-Fátima quer ainda uma cidadania responsável, porque nem tudo depende das instituições estatais, diz.
O Vice-Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa disse hoje que o país precisa de uma nova cultura política que assente no bem comum nacional.

À saída da reunião do Conselho Permanente, que decorre em Fátima, D. Antonio Marto defendeu a necessidade de diálogo e concertação para que Portugal ultrapasse este momento que considera um “desastre”.

Para D. Antonio Marto, é preciso uma nova cultura política assente nos valores da verdade e honestidade, que afaste privilégios partidários e vise o bem comum: “Cultura política assente no bem comum, que exige que se superem os particularismos, os interesses, os jogos de poder e privilégios partidários, que não ajudam de modo nenhum o bem-estar da sociedade, nem criam um clima de serenidade e confiança nos nossos representantes.”

O também bispo de Leiria-Fátima apelou ainda ao diálogo e à concertação entre partidos e parceiros sociais: “Deixar este ambiente de crispação exagerada entre as forças políticas, procurar caminhos de diálogo, cooperação e consenso, para sairmos desta crise ou deste desastre em que nos deixaram cair.”

D. Antonio Marto apelou ainda a uma cidadania responsável e activa, porque, disse, “não depende tudo das instituições estatais”.

Nenhum comentário: