segunda-feira, 11 de abril de 2011

Justiça obriga presidente a recolocar crucifixo na parede da Câmara de João Monlevade-MG

O juiz Evandro Cangassu, de João Monlevade (MG), expediu na tarde de hoje (5, terça-feira) liminar dando 24 horas ao presidente da Câmara Municipal, Carlos Roberto Lopes (PV), o pastor Carlinhos, para colocar o crucifixo (foto) no plenário de onde o tirou no começo do ano. A cidade tem cerca de 75 mil habitantes e fica a 110 km de Belo Horizonte

A decisão do juiz atende a uma ação popular movida pelo advogado Teotino Damasceno Filho.

A justificativa do pastor Carlinhos para retirada do crucifixo foi de que o Estado é laico e, por isso, as repartições públicas não podem ostentar símbolos religiosos.

Contudo, católicos entenderam o gesto com intolerância de crença, porque, para eles, se houvesse na Câmara uma referência evangélica, o pastor a manteria intacta.

Na ação popular, o advogado Damasceno argumentou que a presença de símbolos religiosos em repartições públicas é uma expressão da cultura brasileira, não ferindo, portanto, segundo ele, a laicidade do Estado.

O expurgo do crucifixo da Câmara dividiu os evangélicos da cidade. Para alguns, o pastor Carlinhos tomou uma iniciativa belicosa sem necessidade, e, para outros, a reação dos católicos foi despropositada, impedindo que a Câmara se dedique a assuntos mais importantes. O vereador poderá recorrer da decisão.

Fonte: Aqui Paulopes/G1gospel

Nenhum comentário: